Entenda as IPAs e suas vertentes. Aprenda a interpretar os rótulos

Entendendo as Ipas e suas vertentes

Olá amigos! 

Muitas vezes recebemos mensagens de clientes, seguidores e amigos no nosso Instagram tirando dúvidas sobre as IPAs porque ficam na dúvida do que esperar de um rótulo específico quando estão escolhendo qual comprar. 

Neste artigo vamos tentar desmistificar um pouco o universo das famosas IPAs. Vamos abordar um pouco sobre cada tópico que pode gerar uma “mudança” no seu perfil, como lupulagem, adjuntos, ingredientes, processo de produção, e muito mais. 

O que é uma IPA? 

As IPA´s (India Pale Ale) são um dos estilos mais conhecidos entre os aficionados por cerveja artesanal hoje em dia. É uma cerveja da família das Ales e tem o lúpulo como seu protagonista. Surgiu como uma derivação das já conhecidas Pale Ales, onde foi aumentado a quantidade de lúpulo e teor alcoólico, trazendo mais potência e amargor. Originada na Escola Inglesa, porém ganhou muita força quando a Escola Americana começou a colocar sua própria personalidade no estilo. 

Principais Características dos Lúpulos

O lúpulo é o carro chefe na maioria das IPA´s de hoje em dia, e virou a preferência da maior parte do público, que criou até uma geração conhecida por “Hop Heads” ou “Lúpulomaníacos”. 

Existem mais de 100 variedades de lúpulos diferentes e cada um contém suas próprias características como potência de amargor, sabores, aromas, óleos essenciais, etc.  

Conheça um pouco mais sobre os principais Lúpulos

Abaixo vamos trazer algumas informações sobre os lúpulos mais utilizados no cenário nacional, porém devemos nos atentar que em muitas cervejas são utilizados blends (misturas) de diferentes lúpulos, em proporções diferentes também, o que podem influenciar no resultado final no que diz respeito ao perfil sensorial. Resumindo, cervejas distintas feitas com os mesmos lúpulos podem ter perfis diferentes baseado nas proporções utilizadas de cada um, e em que momento foram utilizados. Fervura, Dry Hopping, etc. 

Mosaic 

Originado dos Estados Unidos, apresenta características de sabor complexas e limpas. Conhecido por seu uso triplo que engloba amargor, sabor e aroma. Traz sabores de manga, pinho, frutas cítricas e ervas. E aromas de frutas tropicais e frutas de caroço. 

Citra

Um dos lúpulos aromáticos mais utilizados pelos cervejeiros, também tem sua origem nos EUA. Como o próprio nome indica, possui um forte perfil cítrico. Tem um perfil de sabor e aroma de toranja, limão e frutas tropicais.

Galaxy

Descendente de uma variedade alemã, o Galaxy tem origem na Austrália e se destaca por apresentar uma maior quantidade de óleos essenciais. Possui um incrível aroma de frutas cítricas, pêssego e maracujá, principalmente quando utilizado na adição tardia (dry hopping). O sabor é intenso durante a produção, mas suaviza à medida que amadurece. 

Amarillo

Os lúpulos Amarillo são usados em todo o mundo, onde seu alto teor de mirceno cria um sabor cítrico de laranja.

Nelson Sauvin

O nome Nelson Sauvin é derivado da uva utilizada na produção de vinhos Sauvignon Blanc, com a qual muitos concordam que possui características semelhantes de sabor e aroma. Desenvolvido na Nova Zelândia e é considerado selvagem demais para muitas das principais cervejarias. Mas conquistou os corações do público de cerveja artesanal. Ganhou muita popularidade nas IPAs. É um lúpulo que requer uma aplicação prudente e criteriosa na produção de cerveja. O perfil do óleo de Nelson Sauvin é complexo e funciona bem como lúpulo de aroma, sabor e também amargor.

Strata

O Strata, anteriormente conhecido como X-331, é um lúpulo americano descendente de uma espécie alemã com polinização aberta. Possui características sensoriais de morango, maracujá, toranja e Dank

Simcoe

Simcoe é um lúpulo que se tornou extremamente popular entre os cervejeiros artesanais. Possui uma alta porcentagem de alfa-ácidos e baixa caumulona. Também é conhecido por suas qualidades aromáticas favoráveis. Possui um aroma frutado, mas terroso de ervas e pinho. 

Ekuanot

Anteriormente conhecido como HBC-366, possui notas frutadas e cítricas intensas, incluindo melão, lima, maçã e mamão. Também possui nota picante de pimenta verde. Possui alto teor de alfa-ácidos e óleos essenciais.

Adjuntos e Ingredientes nas IPAs 

As IPAs e suas variações vem aumentando cada vez mais conforme vão sendo desenvolvidos novos estudos, experimentos e também tecnologias cervejeiras. Com isso, tem aparecido diversas variações nos ingredientes “base” das cervejas, como também a adição de outros adjuntos que trazem um novo perfil para as cervejas. 

Na base das cervejas, temos a utilização de diferentes maltes e cereais, como aveia e centeio, por exemplo. Além disso, também temos adição de outros ingredientes como lactose, frutas, e até café para trazer diferentes notas de sabor e aroma, assim como o corpo da bebida deixando mais encorpada ou mais seca. 

Sub-estilos das IPAs

Desde seu surgimento, as IPAs vem conquistando cada vez mais público e cervejeiros para fazer novos testes, o que resulta na criação de novas vertentes. Abaixo vamos citar os principais e mais comumente consumidos no Brasil. 

American IPA

A American IPA é caracterizada pelo caráter de lúpulo floral, frutado, cítrico, pinho ou resinoso. O estilo é bastante baseado no sabor, aroma e amargor do lúpulo. É a categoria mais concorrida no mercado de cerveja artesanal nos últimos anos. 

Perfil de Cor: 6 – 12 SRM

Amargor: 50 – 70 IBU

Teor Alcoólico: 6,3% – 7,5% ABV

English IPA

Forte, amarga e incompreendida, a English IPA preenche a lacuna entre o passado e o presente. Nenhum outro estilo representa a emoção da fabricação de cerveja artesanal moderna como a IPA, e embora este estilo inglês seja muito diferente da versão americana que faz tanto sucesso hoje em dia, tem muito a oferecer, incluindo toda a história por trás desta variedade. 

Repleta de tradição, a English IPA é uma versão mais forte da Pale Ale, porém com uma porção generosa de lúpulos com perfil terroso e flora, e maior teor alcoólico. O fermento inglês confere um caráter frutado ao sabor e aroma, contrastando com as adições de lúpulo. Diferente da American IPA, este estilo atinge um maior equilíbrio entre malte e lúpulo para um sabor mais arredondado. 

Perfil de Cor: 6 – 14 SRM

Amargor: 35 – 63 IBU

Teor Alcoólico: 5% – 7% ABV

Session IPA 

As Session IPAs em sua raiz, são versões mais comedidas no que diz respeito ao teor alcoólico e amargor. O foco dela é ser refrescante e ter maior drinkability. O ideal é conseguir encontrar um balanceamento entre o estilo e baixo teor alcoólico. A cerveja não deve ultrapassar 5% de álcool.

Perfil de Cor: 6 – 12 SRM

Amargor: 10 – 35 IBU

Teor Alcoólico: 3,5% – 5% ABV

West Coast IPA

Uma das principais características que distinguem uma West Coast IPA de uma American IPA tradicional, é o uso do lúpulo. As West Coast IPAs são lupuladas de uma forma mais agressiva para alcançar perfis mais amargos. Elas também têm um perfil de corpo mais seco e pouca turbidez.

New England IPA (Também conhecidas por Hazy ou Juicy IPAs)

Com a recente onda das New England IPAs chegando no mercado (também conhecidas como Hazy IPAs ou Juicy IPAs), os consumidores das IPAs acabaram ficando divididos entre duas vertentes igualmente deliciosas, porém bem diferentes. Diferente das West Coast IPAs, já mencionada no tópico anterior, As NEIPAs abrem um mercado para os não Hop Heads, pois não tem uma presença de amargor tão presente, o que acabava afastando muitos clientes. O amargor percebido dela é tão baixo, que deixa presente mais um perfil cítrico e frutado de lúpulo. Este estilo também apresenta para os consumidores que a cerveja pode ser turva, e está tudo bem. É um estilo que tem feito muito sucesso porque pega os consumidores que já estavam habituados a consumir IPAs mais amargas, mas também pegam uma boa parcela dos que não gostavam do amargor tão presente e deixa eles irem se acostumando e ir mergulhando cada vez mais neste mundo. 

Double / Imperial IPA

A busca por mais sabor das IPAs nos trouxe às Imperial (ou Double) IPAs. São uma versão mais forte da American IPA, que possui mais sabor, aroma e amargor de lúpulo. As Imperials IPAs acabam tendo uma cor um pouco mais escura, mais amarga e  um teor alcoólico mais elevado. 

Black IPA

A Black IPA é mais do que apenas uma cerveja escura com lúpulo. Os maltes mais escuros emprestam sabores torrados que muitas vezes funcionam em contraste com os sabores florais, cítricos e resinosos do lúpulo. Pode ser uma experiência bem diferente, mas fica deliciosa quando bem executada. 

Rye IPA

A Rye IPA é um estilo de cerveja que leva malte de centeio e tem um forte perfil de lúpulo comparado às IPAs tradicionais. Ela utiliza grãos de centeio maltados no mash. A adição de centeio adiciona um caráter picante à cerveja. O uso do centeio cresceu recentemente no mercado americano, mas é um grão bastante utilizado por muitas cervejarias na Europa por muitos anos. 

Red IPA

A Red IPA tem um perfil lupulado, amargo e moderadamente forte como uma American IPA, porém com um caráter de malte caramelo, toffee e/ou fruta escura. Mantendo o corpo seco, que dá ao estilo maior drinkability. É um pouco mais saborosa e maltada do que a American IPA tradicional, porém sem ser doce ou pesada. 

Na aparência, a cor varia de âmbar avermelhado claro a cobre avermelhado escuro. Deve ser pouco turva , embora versões não filtradas possam apresentar uma maior turbidez. Colarinho médio, esbranquiçado a creme e com boa persistência. 

White IPA

Uma versão frutada, picante e mais refrescante da American IPA, mas com uma cor mais clara, menos corpo e apresentando o fermento distinto e/ou adições de especiarias típicas de uma Witbier belga. 

Na aparência, apresenta cor dourado pálido, tipicamente turva. Colarinho moderado a grande, espuma densa, branca e persistente. 

No aroma, perfil de ésteres frutados como bananas e frutas cítricas. Pode ter aroma de especiarias leve a moderado, como coentro ou pimenta e adições reais de especiarias e/ou fermento belga. 

Bom, tentamos colocar aqui de forma resumida as principais características dos sub-estilos mais vistos aqui no Brasil. Obviamente existem outras vertentes e ainda mais uma infinidade de mesclagem entre todos estes sub-estilos, como uma New England Rye IPA ou uma Session Red IPA por exemplo. Mas com o conhecimento básico destes que apresentamos, você já vai poder interpretar pelo estilo escrito no rótulo e saber o que esperar do líquido. 

E aí, quais desses estilos, lúpulos e insumos você já experimentou ? Conta pra gente nos comentários. 

Deixe um comentário

Chama no Zap!
Enviar